sábado, 9 de novembro de 2013

Pondo no papel

Para ele, em escrever só havia uma tristeza: O cérebro e as ideias serem mais rápidos que as mãos e a caneta.

8 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom, Jonatas.
    Gosto muito de contos curtos, principalmente nanocontos. Mas escrevê-los é um perigo, vicia mais fácil que qualquer droga. Senti isso na pele: comecei a escrevê-los há cerca de quatro anos, e logo estava produzindo pelo menos uns cinco todo dia. Felizmente consegui controlar um pouco o vício escrevendo contos enormes – de até nove linhas!

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda estou no descontrolado vício amigo Tuca.
      Grande abraço.

      Excluir
  3. Pura verdade... Difícil dominar a urgência da alma.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pelo blog, estou te seguindo, esteja a vontade para conhecer Literatura
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela visita, Rute. Também estou te seguindo. Bjo.

      Excluir

Deixe registrada aqui a sua opinião / comentário: