quinta-feira, 23 de março de 2017

Profecia apocalíptica fictício-realista


Eis que o tecido da realidade se rasga. A fissura, que a princípio é pequena, não nos preocupa. Por sinal, poucos são os que dão pela presença dela. E menor ainda é a quantidade de pessoas que vê na fissura uma ameaça. Mas não há como remendar tal rasgo. E, dia após dia, a abertura só faz aumentar.


O mundo gira mais rápido, mais feroz, sem freios. A natureza dá graves indícios, preocupantes sinais. Cataclísmicos. As coisas mudam. As pessoas são afetadas. Os seus humores, comportamentos, os seus discernimentos... A perda do amor pela vida. Não há volta. Tudo rui. Desmorona. Se desfaz. Desintegra.


O solo se abre, dando passagem. A terra tem mais habitantes; os céus mais cruzadores; o tempo mais pressa; as águas mais fúria.
A verdadeira realidade aos poucos à nossa ilusória e iludida realidade se apresenta. Mentiras, farsas histórias virão à luz. Choque de mundos. O homem mais pequeno do que nunca.


Loucura, caos, conflito; intensos e incessantes: e tudo despropositado, animalesco, cego. Exércitos tomarão as ruas em marchas irrefreáveis.
 Conceitos de vida, morte, existência, universo, tudo, absolutamente tudo vai caindo por terra conforme a realidade vem se avizinhando no horizonte.


Quando enfim chegar o momento, o grito ensurdecedor a todos despertará.
Tal grito prenunciará a chegada da Luz. A Luz que cegará a tantos e que dará a tantos outros a verdadeira visão.

Quem viver verá

terça-feira, 21 de março de 2017

Cerco


Quando paredes se fecham ao nosso lado e atrás de nós, é sinal de que não temos mais escolha: Devido a um longo período de hesitação, imobilidade, inércia, agora somos obrigados a seguir em frente. E é geralmente neste momento que nos damos conta de que se já o tivéssemos feito, boa parte da caminhada estaria concluída.
Mesmo diante de tão pouca opção, ainda devemos ser gratos por termos para onde rumar. Por sermos impelidos, tão providencialmente, a seguir em frente.

Sob medida


Quando o cansaço está no ápice, quando todas as forças se estão indo, é sinal de que a caminhada está se findando, de que a causa está quase ganha, de que a batalha está praticamente vencida. 
Basta dar o passo definitivo.

sexta-feira, 17 de março de 2017

Imagens e suas intrínsecas mensagens


Não basta beber da fonte e nela se fartar;
É preciso levar a água aos que ainda estão sedentos, sair a irrigar.


Certos patamares só se é possível alcançar saindo do chão.


É tudo tão claro quanto a luz do dia:
A escuridão cega;
A Luz guia.



Nem sempre (na verdade raramente) é preciso derrubar tudo o que há pela frente. Para se chegar no ponto em que se almeja, basta abrir caminho.


Nem sempre faz sentido.
Às vezes não há finalidade, motivo, objetivo.
Há dias em que não há chão.
Por vezes as coisas, sejam como forem, simplesmente são como - ou o que - são.

quinta-feira, 16 de março de 2017

(Auto) degradação


Olhares tensos
Conflitos frequentes e intensos
Alma suspensa

Punhos cerrados
Semblantes fechados
Alma que pena

Andar apressado
Modo ira ativado
A alma se apequena

No escuro, calado
Caído, enfastiado,
A alma se desfragmenta

Conflito, confronto,
Ira, dor, punição.
Solidão.

Alma no chão.
(Auto) degradação.

domingo, 12 de março de 2017